São tantas opções…

“We have given away far too many freedoms in order to be free. Now it’s time to take some back.” – John le Carre

Geralmente, pensamos em escolha como uma coisa boa – na verdade, a teoria econômica clássica diz que nunca pode ser uma coisa ruim. A escolha fortalece a motivação intrínseca dos indivíduos a aprender, permite que pessoas de diversas origens, preferências e limitações tenham a liberdade de adequar suas decisões individualmente.

No entanto, na mesma linha do vídeo que postei aqui ontem, existe um contingente cada vez maior da literatura que está preocupado com o excesso de opções.

Trabalhos de psicólogos e economistas comportamentais (como este: “The Dark Side of Choice: When Choice Impairs Social Welfare”)  argumentam que existe sim um lado negro da escolha. Sobrecarga cognitiva, preferências mal definidas e autocontrole imperfeito podem levar a procrastinação, a erros na decisão e, em última instância,  insatisfação com a escolha feita.

São muitas as aplicações que estes estudos podem ter. Estudantes tentando escolher os cursos de Economia, por exemplo, podem achar que é excessivamente demorado para adquirir todas as informações relevantes sobre custos e benefícios de longo prazo de cada matéria. Ou ainda, podem não ter certeza sobre o que querem fazer neste semestre, e muito menos no resto de suas vidas.

Uma vez que as decisões são tomadas, os estudantes podem ter dificuldades para seguir adiante e podem permanecer em dúvida sobre se eles fizeram a melhor escolha. O resultado pode ser a seleção inadequada de seus cursos, o não cumprimento dos requisitos mínimos para a graduação ou até o pior, o abandono por completo do curso quando se deparam com um obstáculo inesperado. Assim, ao invés de fornecer mais liberdade na faculdade, comunidades acadêmicas americanas já estão sugerindo que talvez as faculdades deveriam fornecer mais da estrutura do ensino médio.

Com certeza, a discussão vai longe.

This entry was posted in Escolha, Microeconomia. Bookmark the permalink.

3 Responses to São tantas opções…

  1. Paulo Gusmão says:

    Acredito qque no caso das faculdades as próprias instituições podem oferecer guias que auxiliem as escolhas dos seus alunos. Fixar por completo a grade curricular, creio eu, não é a melhor saída.

    A vida é cheia de escolhas. Inibí-las nas faculdades causaria um adiamento do amadurecimento dos estudantes.

  2. Karla says:

    Mais da estrutura do ensino médio nas faculdades eh uma boa… Os estudantes principalmente de faculdades públicas ficam muito livres para escolher as disciplinas que quiserem. Iniciam uma faculdade sem nem saber suas reais possiblidades no mercado de trabalho. Problema da informação assimétrica ehh serio….

  3. Parabéns pelo nível de textos!! Estou sempre aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *