Você pode ser mais rico do que imaginava

Pois é, meu caro estudante de economia, acabo de descobrir que economistas nadam em dinheiro.

Bom, pelo menos em termos relativos. O economista Elton Portela me indicou um infográfico bem legal do Estadão sobre a desigualdade de renda brasileira tendo como referência uma renda escolhida. Lá dá pra ver uma comparação da sua renda com a de outras carreiras e também tem um gráfico que mostra qual a sua posição na curva. Os dados foram coletados da PNAD e POF.

Coloquei lá o valor do salário inicial médio de um economista, que é cerca de R$ 3.800. Este valor – apesar de não ser suficiente para entrar na liga da família – representa  uma renda muito próxima ao estrato dos 10% mais ricos. É claro que nesse bolo existem pessoas com todo tipo de formação, algumas muito sortudas conseguem renda mais alta com pouca escolaridade. No infográfico deu que existem 99 milhões de pessoas que ganham menos do que R$ 3.800 no Brasil, o que representa 89% da população com rendimento.

Esses dados, bem como as implicações que esses resultados têm na forma da curva de Lorenz brasileira, corroboram com aquele gráfico curioso que coloquei outro dia neste outro post, sobre a desigualdade brasileira comparada a outros países.

This entry was posted in Desigualdade. Bookmark the permalink.

9 Responses to Você pode ser mais rico do que imaginava

  1. @maxmiliano says:

    Aff.. e eu não sou economista, acho que por isso ganho mil reais.

    • Não exatamente Max. Na verdade, muitas outras áreas de graduados em ensino superior tem oferecido salário superior a este do texto. No texto quis dizer que os economistas (isto vale para muitas outras profissões também) pertencem a elite da população brasileira, por estar bem próximo do estrato dos 10% mais ricos. Certamente isto acontece porque ainda existem poucos brasileiros que enveredam pelos caminhos do ensino superior.
      Abraço
      Adriano.

  2. Vc se esquece de um detalhe sórdido, caro Adriano. Nem 10% dos graduados em economia conseguem emprego na área de formação.

    • Gustavo Crispim says:

      Po, Luiz… só pra lembrar que alegria de pobre dura pouco….

    • Luiz, já trabalhei tanto com a PNAD quanto com a POF. Conhecendo essas bases, acredito que o Estadão tenha associado a variável “formação/profissão” com a variável rendimento do trabalho. Portanto, no salário médio inicial de um economista acaba entrando também os valores daqueles economistas que não estão trabalhando em sua área de formação. Afinal de contas, é um pouco subjetivo tentar delimitar o que está dentro ou não da área de formação, não acha?
      Abraço
      Adriano

      • Amanda Ferracino says:

        Não é bem isso que o mercado está mostrando para os recém formados. Cerca de 70% das oportunidades de emprego (posições iniciais, como analista Júnior, por exemplo) em áreas financeiras e econômicas estão remunerando na faixa de R$ 2.000, com exigência de experiência na área. Sei não, mas se já está difícil arrumar emprego, conseguir um com esse salário médio inicial de R$ 3.800 está quase impossível.

      • É difícil delimitar área de formação. Mas, como a Amanda falou as oportunidades de início de carreira estão bem abaixo dessa média. Precisamos verificar a metodologia dessa pesquisa.

  3. Pingback: Top Five Prosa Econômica « Prosa Econômica

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *