Horário de ônibus via smartphone: melhoria de Pareto, mas é esse o público?

Na última semana, entrou em funcionamento em São Paulo um sistema que monitora o itinerário dos ônibus urbanos nos principais corredores da cidade. Por meio dele, é possível acertar em 96% das vezes, com intervalo de confiança de cinco minutos, o horário em que o coletivo passará em um determinado local.

O usuário de transporte público pode acessar essas informações pela internet, smartphone com Android ou iPhone. Trata-se, com certeza, de uma grande melhoria no sentido de Pareto, ou seja, essa ação faz com a situação de pelo menos uma pessoa fique mais favorável sem piorar a de ninguém.

Apesar disso, especificamente falando do uso de smartphone ou iPhone, talvez não sejam muitos os beneficiados pela nova tecnologia. Dado que a renda média dos usuários de transporte público na cidade de São Paulo e região metropolitana é de R$ 1.110 e que 47% estão na classe C, de acordo com levantamento da Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP), estes bens provavelmente não figuram na lista de prioridades de consumo para esse segmento. Corrobora essa ideia pesquisa realizada pela WMcCann e .Mobi, segundo a qual quase 50% dos consumidores de smartphone estão na classe A.

Talvez, neste caso, verificaremos um efeito inverso no futuro. Em vez de um serviço ser oferecido em virtude da demanda existente, poderemos assistir a um aumento das vendas de celulares mais avançados em decorrência do oferecimento de novas funcionalidades. Para aqueles que andam de ônibus e estavam indiferentes entre pagar mais barato por um telefone móvel comum ou mais caro por um smartphone, essa novidade pode ser decisiva na escolha final.

This entry was posted in Microeconomia. Bookmark the permalink.

2 Responses to Horário de ônibus via smartphone: melhoria de Pareto, mas é esse o público?

  1. André says:

    Se pelo menos tivesse uma versão para celulares de entrada da Samsung, LG e Nokia (com a S40) o real público seria atendido. Só tenho uma amiga que tem iPhone e anda de coletivo, e ela não tira o bixo do bolso nem por decreto…

    • Jorge Ikawa says:

      Oi, André, tudo bem?
      Realmente você tocou em outro ponto importante. Entre aqueles que têm smartphone, muitos não estão dispostos a fazer essa consulta no meio da rua e ficarem mais expostos a possíveis roubos. Vamos acompanhar a evolução desse dispositivo.
      Obrigado pela participação.
      Jorge

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *