Skip to content

Ninguém poderia prever…

julho 20, 2010

Por Vinícios Poloni Sant’Anna

Muitos economistas e investidores repetiram, perplexos, para si mesmos a frase “Ninguém poderia prever…”, diante da crise imobiliária dos Estados Unidos. Crentes na eficiência do mercado financeiro, muitos profissionais não acreditaram na formação da maior bolha financeira já vista.

Segundo Paul Krugman, ao longo das últimas décadas, presenciamos um processo de retomada das idéias neoclássicas, no que diz respeito à economia como disciplina. Dentre essas idéias, destaca-se a hipótese do mercado eficiente. Segundo essa teoria, atendidos alguns pressupostos, o preço, determinado pelo mercado financeiro, seria a melhor aproximação do valor intrínseco de um ativo. Em outras palavras, no mercado financeiro, onde todas as informações estão disponíveis e os indivíduos são racionais, não haveria grandes discrepâncias entre o preço de um ativo qualquer e seu valor (fundamental) . Portanto, para muitos dos defensores dessa teoria, uma bolha no mercado imobiliário seria improvável.

No entanto, vários economistas desafiaram o pressuposto do comportamento racional e questionaram essa crença na confiabilidade dos mercados financeiros. Dentre eles está Nouriel Roubini, famoso economista ítalo-americano, que anunciava um colapso da economia desde 2005. Em razão disto, ficou conhecido como Doutor Apocalipse. 

Numa época em que quase ninguém falava de crise, Roubini percebeu muitos excessos na economia norte-americana. Os preços dos imóveis haviam dobrado em apenas dez anos. A partir disso, ele constatou que havia uma bolha no mercado de crédito em geral. Somada ao pouco rigor para a concessão de empréstimos, ele percebeu que o consumidor americano estava excessivamente endividado. Desta forma, o Doutor Apocalipse fez sua previsão: essa situação era insustentável e levaria a uma crise financeira.

Na época, Roubini, assim como todos economistas que apontavam para uma crise, foram ignorados. Alguns foram até ridicularizados pelo seu esforço. Segundo Olivier Blanchard, esse foi um período de “ampla convergência de visões”. Qualquer pensamento desarmônico poderia ser tratado como irrelevante. Hoje, no entanto, todos querem saber o que economistas como Roubini estão dizendo sobre o futuro da economia. Quem dera fossem ouvidos antes.

Referências:
Paul Krugman, “Como puderam os economistas errar tanto”
http://www.nytimes.com/2009/09/06/magazine/06Economic-t.html?_r=4&pagewanted=1
Entrevista de Nouriel Roubini à revista Época
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI13935-15295,00-NOURIEL+ROUBINI+O+HOMEM+QUE+PREVIU+O+CAOS.html
4 Comentários leave one →
  1. Elder permalink
    julho 20, 2010 10:32 am

    Bom Texto Vinícios. Conseguiu de forma suscinta apontar que nem todos os econmistas eram. Mostrou assim, a meu ver, o quão discutível são as teorias econômicas e até mesmo seus pressupostos. Parabéns!!!

    • julho 20, 2010 10:39 pm

      Caro Elder, obrigado pela participação e pelo incentivo. Com certeza ainda vamos prosear muito.

  2. julho 20, 2010 2:18 pm

    Penso que o “mercado” sabia sim da possibilidade da crise, mas até que ponto seria interessante prevenir e regular os excessos e abrindo mão do lucro fácil e farra dos juros pagos pelas pessoas físicas cada vez mais endividadas? Saber todos sabiam e acho mesmo que o trade off entre juros, juros e mais juros foi decisivo para que bancos não se importassem com a bolha, mas sim com os lucros fáceis.
    Os mais desatentos dirão que os juros lá são pequenos, mas essa justificativa não cabe, pois os bancos dos EUA já estão mais que acostumados com essa situação e no fim de tudo os juros baixos são os de referência. Já os juros reais aos empréstimos e principalmente cheque especial e cartões de crédito são exorbitantes.
    Enfim, crise sim! Agora nada me fará pensar que o custo de toda a farra financeira e da crise não estava mais que contabilizado. Claro que alguns se deram mal, por incompentência ou objetivos obscuros os quais algum dia saberemos, pelo desabafo de algum ator dessa peça chamada crise dos subprime.

    Em tempo parabéns pelo blog. Penso em recomendar o site de vocês em meu blog pessoal, que estou analisando inserir algumas publicações econômicas. E quem sabe no futuro trocamos artigos?

    • julho 20, 2010 11:04 pm

      Anderson, vale ressaltar também que a taxa de juros de referência baixa pode ter camuflado a bolha. Muitos podem ter atribuido parte do aumento nos preços à essa taxa abaixo do normal.

      Muito obrigado pela participação e pelo apoio. Manteremos contato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s