Skip to content

Literalmente, estamos na lanterna.

fevereiro 21, 2011

Por Juliana Oliveira

Se o país quer crescer, não é novidade que infraestrutura é necessário. Parte do crescimento do Milagre econômico de 70 foi devido às realizações do PAEG, anos antes. Desde então, a exceção do II PND, responsável por Itaipu, o país parece estagnado no que concerne a investimento neste setor. Nos anos 2000, a porcentagem do PIB em investimento deste foi de cerca de 2%. As perspectivas do BNDES de 2010-2013 chegam a 2,2% do PIB (R$ 274 bilhões). Segundo Morgan Stanley, o país precisa investir o dobro disso se quer crescer 5% nesta década.

E não dá para o governo fugir desta responsabilidade: o grosso do investimento em infraestrutura é de sua responsabilidade, dado o montante necessário de dinheiro e tempo para o seu amadurecimento. Fora ser uma questão de necessidade nacional.

Tabela: Investimento em infraestrutura em países selecionados

(Em % do PIB)

Brasil

Chile

Colômbia

Índia

China

Vietnã

Tailândia

Filipinas

Ano

2007

2001

2001

2007

2003

2003

2003

2003

% do PIB

2,03

6,2

5,8

5,63

7,3

9,9

15,4

3,6

Fontes: Chile e Colômbia: Banco Mundial; Vietnã, Tailândia, Filipinas e China: Banco Mundial; Índia: Government of India; Brasil: IPEA/IBGE, estimativas de Frischtak, 2009. Tabela: Frischtak, 2009

Dado isto, não é à toa que o fim do ano foi um caos: aeroportos extremamente sobrecarregados, rodovias entupidas. As quedas de energia no Nordeste e em São Paulo vieram como uma “luz” para lembrar que a matriz energética brasileira está no gargalo. A ampliação do fornecimento nos últimos anos veio à custa de queima de óleo, carvão e gás. A aposta na usina de Belo Monte primeiro precisa superar a critica ecológica, além de esperar a maturação dos seus quase R$ 20 bilhões investidos para podermos contar com seu fornecimento.

Enquanto isto, estas “temporárias interrupções no fornecimento de energia”, (termo usado por Edison Lobão, Ministro da Energia, que recusa usar apagão para o acontecido e jura que nosso sistema de fornecimento de energia é um dos mais modernos do Mundo), estão tornando-se mais frequentes: 91 em 2010 contra 48 em 2008. Isto porque, segundo dados da The Economist , a energia no Brasil custa 2/3 mais que no EUA, com previsão de aumento da tarifa segundo o IPEA.

Assim, ou o governo passa a ser ativo e encarar este desafio, ou então vamos acabar “apagados” na Copa de 2014.

7 Comentários leave one →
  1. Malú permalink
    fevereiro 21, 2011 9:45 pm

    Concordo com isso. O governo precisa investir em setores estratégicos no Brasil, como energia, transporte, infra-estrutura como já fez em alguns períodos em que o país viu altas taxas de crescimento, só deve-se tomar cuidado para que não se gaste desfreadamente e a inflação volte a amedrontar os brasileiros.

    Adorei o site.

  2. fevereiro 21, 2011 9:46 pm

    Excelente post Juliana Oliveira, porém acredito ser interessante para conotação, a apresentação dos dados comprativos todos em uma mesma base ( para o caso, exprimir todos os dados para o um mesmo ano). Da forma como os dados estão expressos mesmo apesar de todos os argumentos muito bem colocados e di excelente post fica uma pequena brecha de duvida na comparação sugerida.
    Por fim reforço meus elogios ao post e espero ver mais do bom estilo de Juliana Oliveira por aqui no Prosa Econômica.

  3. @maxmiliano permalink
    fevereiro 22, 2011 11:21 am

    O engraçado (Lê-se assustador), é que desde quando eu estudava no começo do ano 2000, já debatíamos sobre a falta de infra estrutura e a possibilidade de crescimento. Creio que a falta de infra estrutura é um gargalo que é discutido a muito mais tempo, e o governo brasileiro parece ignorar. Mas será que existe no brasil algumas regiões em que a infra estrutura esta sendo implementada? E o porto do Eike Batista? E as Usinas hidreletricas, e o Maranhão? E o Anderson Mattozinhos tem toda razão.

  4. fevereiro 22, 2011 11:02 pm

    Malú e Meninos,

    Parece incrível que só “nós” vemos esta necessidade gritante. Quanto aos dados, não achei melhores, mais comparáveis, mas dá pra ter um noção que precisamos de mais.

    Obrigada pelos comentários!

    Juliana.

  5. fevereiro 23, 2011 2:43 am

    É impressionante, vemos todos os dias estatísticas como essas e pouca coisa é mudada na realidade. Me parece que o Governo Federal está muito acomodado só pelo fato de termos grandes eventos aqui em 2014 e 2016 posteriormente. O momento para o Brasil é agora, se perdemos essa oportunidade, pode ser que outra não apareça tão cedo.

    No mais, parabéns pelo post e pelo Blog!

Trackbacks

  1. Tweets that mention Literalmente, estamos na lanterna. « Prosa Econômica -- Topsy.com
  2. Mais uma vez o governo… « Prosa Econômica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s