Skip to content

Conflitos Motivacionais

março 26, 2011

Por Luiz Henrique Pacheco

Picoeconomics é uma nova linha de pesquisa em economia comportamental que estuda o processo de tomada de decisão do agente. É a microeconomia da microeconomia. Em particular, a picoeconomics estuda o processo de escolha do indivíduo levando em consideração o tempo. Ou seja, dado que um agente pode fazer uma escolha com possibilidade de duas gratificações, uma no presente e outra no futuro. Qual gratificação esse agente irá escolher e por quê?

Um dos resultados consistentes dessa teoria é que as pessoas tendem a cometer o desconto hiperbólico que é um modelo de desconto intertemporal inconsistente com o mapa de preferências “bem comportadas”. Ou seja, dadas duas gratificações similares, as pessoas escolherão aquelas que levaram  menos tempo para acontecer, e quanto maior for o tempo de espera maior o desconto que a pessoa estará disposta a incorrer.

“Prazos largos são fáceis de subscrever.” O que é preferível, um real hoje ou um real e vinte amanhã? Um real daqui a um ano ou um real e vinte daqui a um ano e um dia? Aquelas pessoas inclinadas a descontar o futuro irão preferir um real hoje, incorrendo em uma taxa de desconto de 20%, mas irão preferir esperar um dia após ter esperado um ano, falseando o seu mapa de preferências inicial. Essa característica tem o nome de desconto hiperbólico. Portanto a curva de desconto muda do formato exponencial para o formato hiperbólico.

Fonte: George Ainslie

A figura 1A apresenta a curva de desconto exponencial. Note que quando o período que separa duas gratificações aumenta a taxa de desconto aumenta exponencialmente. Mas as preferências são consistentes. A curva LL sempre terá maior valor que a curva SS, em qualquer momento que seja descontada a gratificação.

Fonte: George Ainslie

A figura 1B tem curvas de desconto hiperbólicas. Note que a gratificação que demora mais (curva LL) tem maior valor até que a gratificação menor (curva SS) esteja muito próxima de ocorrer. Aí caímos no caso do exemplo. Eu vou preferir descontar o amanhã (receber R$ 1,00) do que descontar alguma coisa que só poderá acontecer em um ano e um dia.

A questão do desconto hiperbólico ajuda a economia comportamental a explicar diversas situações das quais, dia após dia cometemos e nos arrependemos. Desligar o despertador e continuar dormindo, deixar aquele regime para segunda-feira e depois adiá-lo para terça. Escolher o pedaço de pudim ao invés da fruta, decidir economizar parte do salário antes de recebê-lo, mas torrá-lo assim que o dinheiro cai na conta ou ainda a procrastinação nossa de cada dia que acomete quase todos os estudantes.

Fonte: Peanuts em "Last-Minute Panic"

8 Comentários leave one →
  1. @maxmiliano permalink
    março 26, 2011 10:45 am

    o LUIZ qual a relação da picoeconomics com o custo de oportunidade? E qual a importancia do TEMPO nesse estudo? Pensei mil coisas e me embaralhei…

    • março 26, 2011 5:15 pm

      veja a resposta abaixo no outro comentário

  2. março 26, 2011 5:14 pm

    A relaçao com o custo de oportunidade é fundamental em qualquer teoria economica, dado que existe a escassez e a separação de meios e fins. Nesse sentido, buscar a alocação eficiente é fundamental.

    Num espaço de escolhas, tendo que enfrentar uma restrição orçamentária, a picoeconomics pode desvendar as motivaçoes das escolhas. Por que um agente decide economizar para fazer uma pós, mas num passeio ao shopping decide comprar uma nova TV de LED no cartão de crédito e compromete a poupança para os estudos?

    A resposta a essa pergunta necessita um componente muito importante nessa teoria. No processo de decisão o agente tem que lidar com o tempo. Ter conciencia que o amanhã chega e ele deve ser previdente. Mas =, em geral as pessoas se atrapalham para fazer a comparação. Tanto porque sao inclinadas a descontar o futuro (perdulária) ou ser inclinada ao futuro (muito previdente)

    Você consegue avaliar a qual taxa vc trocaria um copo de água por um brigadeiro (custo de oportunidade). Só que vc consegue avaliar a qual taxa vc trocaria um copo de água por um brigadeiro daqui a um mês? Como vc procederia na conta. Vc deve avaliar o fator incerteza e as suas preferencias pode mudar (talvez em um mes vc não goste mais de brigadeiros).

  3. Cristiano permalink
    março 26, 2011 9:37 pm

    Isso e mesmo muito interessante para compreender os as escolhas. Mas de fato, tudo começou em 1979 com kahneman e tversky para desconto probabilistico e depôs na década de 1980 com G. Lowenstein para escolhas intertemporais. Em ambos os casos, a teoria clássica e atacada com dados que violavam “taxas fixas de desconto” como previsto nos modelos exponenciais. Kahneman não explicitou o modelo hiperbólico, mas os dados foram demonstrados serem consistentes com esse modelo. Racional? Não, mas consistente.
    Abraços.

    • Prosa Econômica permalink*
      março 27, 2011 5:10 pm

      Exatamente! Eles atacam a taxa de desconto constante dos modelos neclássicos iniciados lá em Marshall. De fato a hipótese de racionalidade está sendo relaxada em muitas teorias, porque a toda hora pensar na margem cansa…

  4. João H Baldo permalink
    março 30, 2011 5:25 pm

    Muito bem escrito o post parabéns.
    Essa relação pode ser vista no mercado de ações também. Leilões também são bons exemplos práticos dessa análise.

    Abraço.

  5. marilia permalink
    março 7, 2012 8:12 am

    Gostaria de saber sobre uma possível bibliografia que você recomendaria sobre o tema Neuroeconomia. Obrigada.

Trackbacks

  1. Picoeconomics não dá ponto sem nó « Prosa Econômica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s